quinta-feira

Não quero ser amargo.


Por que algumas feridas não se curam?
Já faz tempo e ainda está doendo. È como se isso não fosse acabar. Longe eu acredito que ela sabia o quão dentro de mim ainda está. Permanece, cria raízes e floresce ao ser regada com amor e ódio. Só não quero desistir de meus sonhos, para não me transformar um ser amargo que possa provocar dor à quem tanto diz amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário